Saúde 4 Saúde

Através de uma aprendizagem global, desde os fundamentos do funcionamento do corpo humano à importância dos relacionamentos na construção da personalidade, passando pelos bons hábitos, visa permitir-lhe assumir o controlo sobre a sua saúde e bem estar.

Lições

A beleza do corpo e do espírito

?A beleza tem como efeito, aniquilar o nosso senso crítico e vencer a nossa resistência? disse Bergson. Um rosto agradável e sorridente, reflectindo saúde, beneficia de um juízo favorável pela atracção instintiva que ele suscita. No mundo do trabalho é bem conhecida, sobretudo nos nossos dias, a importância de uma boa apresentação. Não podemos negar o valor da beleza sobre o êxito social do indivíduo, em particular na mulher. Hoje impõe-se, mais do que nunca, dar uma boa impressão logo no primeiro contacto.

Se é verdade que é preferível ?antes ser do que parecer?, parafraseando Shakespeare, importa contudo compreender que a nossa vida social será mais agradável se fizermos tudo o que for possível para sermos atraentes.

A beleza exige tantos cuidados como as flores: é necessário, pois, cuidar dela todos os dias. Mas, para isso, não é preciso gastar somas avultadas em cosméticos, massagens e cuidados da pele em institutos de beleza. Existem meios simples, naturais e mais económicos para a manter.

O sono

Viu-se a um espelho depois de um fim-de-semana muito agitado, quando se levantou na segunda-feira de manhã, com as pálpebras inchadas, olheiras e o rosto crispado? Que aspecto!

Pensa então na provável reflexão dos seus colegas de trabalho: ?Vê-se que andaste na festa. Uma directa, n?é??

Para evitar um tal estado é preciso reconsiderar a nossa maneira de viver e, sobretudo, o nosso sono, cuja insuficiência torna o corpo pesado e o cérebro preguiçoso. Parecemo-nos então com um automóvel com a bateria descarregada. Alguns dizem: ?O que me cansa mais não é o trabalho que faço, mas o que deveria fazer; ele é que me transtorna o sono?.

Efectivamente, quando estamos preocupados em terminar um trabalho não dormimos sossegadamente. Pesquisas científicas demonstraram que o sono não é reparador quando permanecemos debaixo de uma certa tensão. O que nos é necessário é uma consciência tranquila e, algumas vezes, mudar o nosso modo de vida, de tal forma que este não dê mais prejuízo à nossa saúde e beleza! É preciso, sem dúvida, corrigir alguns hábitos, mas vale a pena. O sono iniciado antes da meia-noite, por exemplo, é muito mais reparador, mesmo que curto, do que o que se inicia depois dessa hora, mesmo que longo. As noitadas, em que muitos se envolvem e em que se divertem, são, no contexto geral de qualidade de vida, demasiado desgastantes para a saúde mental e física do indivíduo.

De qualquer modo, não recorramos aos tranquilizantes! Os comprimidos-milagre do nosso tempo provocam, na pessoa que sofre de ansiedade, uma necessidade que a obriga a aumentar constantemente as doses. Quanto mais não vale equilibrar o nosso programa quotidiano, pondo em prática alternadamente o repouso e o exercício? É verdade que isso é, por vezes, difícil, mas podemos compensar as exigências do trabalho e da vida citadina, adoptando bons hábitos: andar à noite, depois de uma refeição ligeira tomada cedo, um banho morno, eventualmente com essências calmantes. Podemos também distrair os nossos pensamentos através de uma música calma ou de uma leitura agradável.

A postura

Quando éramos crianças, a fazer os deveres escolares, na escola ou em casa, quantas vezes não ouvimos esta ordem: ?Pôe-te direito!?. Hoje, queixamo-nos, talvez, de ter dores nas costas entre a nuca e os ombros. Os movimentos da cabeça são penosos, o pescoço perdeu a sua elasticidade, as costas arqueiam-se, a postura já não é a mesma. Uma posição incorrecta impede que a respiração se faça de maneira completa e livre, limitando assim a troca oxigénio - gás carbónico.

Façamos, pois, um esforço para nos mantermos numa posição erecta: o ventre para dentro, as costas sem curvaturas, mas sem exagerar. Lembremo-nos disto constantemente. Não nos curvemos na poltrona; mantenhamos as costas naturalmente direitas, a fim de diminuir a curvatura lombar. Para se apanhar um objecto do chão, em vez de curvarmos as costas, dobremos os joelhos. Na viatura, se conduzirmos, aproximemos o assento de modo a evitar manter as pernas muito alongadas.

E, curiosamente, o que dizer dos pés, aquela porção do corpo que mais facilmente se martiriza? Não usemos saltos muito altos (superiores a 5 cm) porque, para além de exigirem uma contractura permanente da musculatura lombar, provocam, a cada instante, torções e desequilíbrios da coluna vertebral. E muito menos sapatos bicudos, que deformam a porção terminal do pé. A moda não compensa os custos posteriores, em termos de saúde, particularmente, que na maior parte das vezes são impossíveis de corrigir.

O exercício

O exercício físico, praticado moderadamente, é um outro segredo da beleza. Ele estimula todas as funções do organismo, mas deve ser feito de maneira progressiva e sem provocar cansaço em excesso. Quando é executado com regularidade, muscula as pernas, o abdómen, o peito e as costas. Exige também uma respiração profunda e proporciona um sono tranquilo.

Eis, um exemplo: De pé, com as pernas direitas, dobre-se lentamente para diante até tocar na ponta dos pés. É excelente para a circulação do sangue. A barriga das pernas faz de certa maneira trabalho de bomba auxiliar, acelerando o regresso do sangue ao coração. Este exercício recomenda-se, particularmente, às pessoas sujeitas a varizes dos membros inferiores. Obter-se-ão melhores resultados praticando, além disso, a marcha, a natação ou qualquer outro desporto.

O arejamento

Renovemos diariamente o ar da casa. O ar fresco activa e estimula-nos. Abramos, pois, todas as nossas janelas.

O exercício muscular aumenta o dispêndio calórico e, consequentemente, o consumo de oxigénio. Não esqueçamos que um músculo em actividade tem necessidade de sete vezes mais oxigénio do que em repouso. Quanto às células nervosas, quer elas estejam em actividade quer não, consomem cinco vezes mais oxigénio do que as outras. Se não se respira devidamente ou não se fazem exercícios respiratórios diariamente, a pessoa oxigena o seu sangue de uma forma insuficiente, contribuindo para o cansaço geral.

A maior parte das vezes respiramos mal. Pratiquemos regularmente a respiração abdominal, inspirando profundamente e expirando lentamente de seguida, ao mesmo tempo que comprimimos o abdómen. Dez exercícios destes, duas vezes por dia, darão ao sangue o oxigénio renovador extra. A nossa pele será melhor nutrida e a tez rejuvenescida.

A água

Todas as funções da vida dependem da água. Uma hidroterapia continuada é, pois, um precioso auxiliar da beleza. A pele tem necessidade de água; os banhos de imersão e de chuveiro têm, cada um, a sua função específica. Um banho de chuveiro frio é um excelente tónico e um estimulante para o corpo e o espírito. Um banho quente dilata os poros e permite assim eliminar as impurezas. Um banho morno acalma os nervos e regulariza a circulação.

A água ingerida drena os resíduos celulares; assegura um bom metabolismo; diminui os odores corporais e o mau hálito. Tomemos tempo para beber água da fonte ou água mineral não gaseificada, entre as refeições. Está demonstrada a necessidade de beber seis a oito copos de água por dia, no mínimo, para salvaguardarmos a saúde.

O sol

O sol fornece 45% de radiações visíveis, que dão luz e calor; 50 % de raios infravermelhos, responsáveis pelas insolações; e 5% dos raios ultravioletas, que bronzeiam a pele e têm um poder bactericida. Estes últimos actuam na fabricação da vitamina D, transformando uma substância química, próxima do colesterol, que existe na pele.

A elevada percentagem de raios infra vermelhos que existe na luz solar torna prejudicial uma exposição prolongada ao sol. No começo, é preferível que seja diária e progressiva. Infelizmente, muitas pessoas deixam-se queimar literalmente pelo sol. Nunca é de mais repetir que o excesso de radiações solares envelhece prematuramente a pele e aumenta o risco de cancros cutâneos.

A relaxação

Dormir e relaxar-se na nossa sociedade hiperactiva é uma necessidade vital. É o meio mais eficaz e mais natural para evitar a fadiga nervosa e para curar. A descontracção pode produzir tanto bem-estar como um banho. Psicologicamente, ela permite suportar o trabalho, enfrentar as preocupações e as dificuldades da vida com a máxima serenidade. Fisicamente, ela facilita uma maior distribuição do trabalho muscular e uma economia importante de meios. As nossas funções vegetativas sofrem modificações. Produzem-se certas alterações na composição sanguínea. Os ritmos cardíaco e respiratório tornam-se mais regulares.

Experimente descontrair, alongando-se sobre uma superfície plana. Expulse de si as suas preocupações e concentre a sua atenção sobre as partes do corpo que estão em contacto com o solo (sucessivamente desde os calcanhares até à nuca). Tente descontrair os músculos uns após os outros. Este exercício pode durar dez a quinze minutos. Se o praticar com regularidade logo descobrirá os seus benefícios.

O regime ideal

Para ter uma bonita tez é necessário um regime alimentar variado e rico em frutos e legumes. Na medida do possível, estes devem ser consumidos crus, ralados ou cortados finos. Para as saladas, deve preferir-se o azeite, o sumo de limão e as ervas aromáticas vulgares.

Uma alimentação isenta de chocolate, café, chá, condimentos, gorduras animais e álcool, favorece o aspecto de uma pele saudável, na medida em que o fígado desempenha as suas funções desintoxicantes sem a sobrecarga que aquelas substâncias lhe acarretariam, se fossem consumidas. A moderação ? insistimos na ideia da moderação e não da supressão ? dos produtos feculentos (grão, feijão, lentilhas, p.ex.), de amidos (batata e farináceos) e a redução de açúcares, também é aconselhada. Tudo isto, é claro, num ambiente de boa disposição emocional e física.

A personalidade

Não há nada mais belo do que um olhar. Ele é o espelho de todo o ser. Consequentemente, sono, exercício e alimentação reflectem-se nele.

Mas, como se compreenderá facilmente, a beleza depende também do carácter. Se se puser em prática os conselhos atrás indicados, pode-se melhorá-la e contribuir para o resplendor da personalidade. Com efeito, para que serve estar ?em beleza? se nenhum sorriso ilumina o nosso rosto?

Uma voz agradável, um olhar penetrante, um sorriso luminoso, uma boa postura, facilitarão o relacionamento com aqueles com quem lidamos diariamente. Mas, para criar um clima de cordialidade, é preciso também discernimento e bondade.

Uma boa compreensão

Por princípio, temos consciência da existência dos outros, mas, na realidade, não lhes recusamos muitas vezes o direito à existência? Criticamos e julgamos. Porquê? Porque os desejaríamos iguais a nós mesmos. A sociedade tem igualmente a tendência para nivelar os indivíduos e a não ter em conta senão a maioria. Portanto, se compreendermos que todos os seres humanos são complementares, teremos uma outra visão da vida e das relações humanas. Saint-Exupéry disse: ?Se sou diferente de ti, longe de te lesar, completo-te?.

Para melhor nos entendermos com o nosso semelhante, temos de o aceitar antes de mais como um ser único, em parte inteira, tendo, como nós, o direito à felicidade e à consideração. Leiamos o artigo 28 da Declaração dos Direitos do Homem: ?Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. São dotados de razão e de consciência e devem agir uns para com os outros num espírito de fraternidade?. Apesar disso, no mundo actual, o homem é muitas vezes um lobo para o próprio homem!

Fala-se muito em desarmamento ? o das armas ? mas há um que, sendo esquecido invariavelmente, é o mais importante. O desarmamento dos espíritos (dos preconceitos; dos pressupostos; dos ?acho que??.) e o dos corações (falta de amor; de respeito; de consideração; dos valores?).

A paz só existe num lar, se os cônjuges aprenderem constantemente a compreenderem-se, a estimarem-se e a ajudarem-se. Uma disposição afável para com o outro, que é diferente de nós, é, pois, indispensável.

A coexistência dos espíritos e dos corações, no respeito e apreciação mútuos, só é possível quando se estabelecer um diálogo sobre estas bases. Assim, em vez de impor as suas opiniões pela força, cada um deverá ter em conta as dos outros.

Em vez de condenarmos as pessoas, procuremos compreendê-las e descobrir os motivos das suas acções. Esta regra é uma garantia de sucesso nas nossas relações. Tenhamos também consideração por elas. Esforcemo-nos por descobrir as suas qualidades. Algumas pessoas fazem-se doentes para captarem a atenção e a simpatia daqueles com quem convivem e para darem uma prova da sua importância. No seu livro Como fazer amigos o Dr. Carnegie indica algumas regras pelas quais se pode ganhar a simpatia de outrem. Eis algumas delas:

  • Interesse-se sinceramente pelos outros
  • Saiba escutar e encorajar

A isto, acrescentaremos:

  • Seja senhor de si mesmo em todas as circunstâncias, tolerante e reconheça os seus erros.
  • Não pague o mal com o mal, para não arranjar inimigos. ?Meter achas na fogueira? não vale a pena
  • Se se sente desalentado dê um passeio pelo parque ou pelo campo e contemple a Natureza. Uma mudança de ambiente permitir-lhe-á refazer-se e reencontrar-se.

Amar é, antes de mais, aceitar o outro, respeitá-lo e, depois, viver simplesmente com todas as possibilidades dadas para um entendimento pacífico. Não há limites para o entendimento; não existem palavras ditas; não existem actos cometidos; não há nada que a humildade e a vontade de amar não sejam capazes de ultrapassar.

Assim, descobrirá por si mesmo que algumas destas indicações criam, em si e à sua volta, a paz e a harmonia. Pondo em prática estes segredos de beleza, a sua saúde beneficiará com isso, a sua beleza e encanto torná-lo-ão atraente e simpático, sem dúvida.