Força Para Viver Espiritualidade

A vida, na verdade, não é fácil. A família, o trabalho, o futuro e até as coisas mais simples e bonitas da vida, perdem a sua cor e alegria quando nos faltam as forças para lutar e vencer. Através desta viagem pela Bíblia, em 29 lições, será conduzido, através de citações e questões, a respostas sobre a fiabilidade da Palavra, a natureza de Deus, o que acontece após a morte e o plano da salvação. Tenha uma vida com sentido e encontre força para viver!

Lições

A Mais Longa e Espantosa Profecia Bíblica

Jesus vem a caminho! Ele vem para nos levar para o Lar.

Uma equipa de exploradores do Árctico encontrava-?se desesperadamente perdida no meio da neve gelada. Os seus mantimentos começavam a escassear. Restavam apenas algumas magras rações. Os contactos via rádio com a sua base tinham sido cortados. A angústia parecia tomar posse de todo o grupo. No meio do seu desespero, alguém avistou uma nuvem de fumo no horizonte. Aquela nuvem de fumo deu-lhes um novo ânimo. A ajuda vinha a caminho. Alguém sabia que eles estavam perdidos e vinha buscá-los para os levar para o lar.

O nosso mundo procura ansiosamente uma mensagem de esperança. O livro de Apocalipse revela- nos uma ?nuvem de fumo? no horizonte distante. Jesus vem a caminho! Ele vem para nos levar para o Lar. A nossa lição de hoje desvenda-?nos uma das mais espantosas profecias da Bíblia. Na lição anterior, descobrimos a mensagem especial de Deus em Apocalipse, no capítulo 14, uma mensagem dada para preparar um povo para a vinda de Jesus. A mensagem final de Jesus, para os últimos dias, anuncia: ?é vinda a hora do seu [de Deus] juízo? (Apocalipse 14:7).

Nesta lição, vamos estudar sobre o lugar onde este Juízo ocorre e quando começou. Se vivemos no fim do tempo, na hora do Juízo de Deus, isso deve fazer toda a diferença no modo como vivemos a nossa vida.

Embora o Apocalipse revele que a hora do Juízo de Deus chegou, não nos diz quando. Para descobrirmos quando começou o Juízo, devemos examinar o livro profético de Daniel, no Antigo Testamento. As profecias de Daniel desvendam-nos os mistérios de Apocalipse. Estes dois livros bíblicos foram designados por Deus para serem estudados juntos.

Textos Bíblicos para Estudo

Daniel 7:9-10 Daniel 8:14 Levítico 16:29-30 Levítico 23:27-29 Daniel 8:16 Daniel 9:21-23 Daniel 9:25 Números 14:34 Ezequiel 4:6 Lucas 3:21-22 Atos 10:38 Daniel 9:27 Mateus 27:51 Romanos 13:11-14 Hebreus 7:21-26

Complemento ao Estudo

  • Dia após dia, durante o serviço do Santuário terrestre, os Israelitas confessavam os seus pecados. Vinham ao Santuário com os seus animais sacrificais. Cada animal sacrifical representava Jesus. Dia após dia, o pecado era transferido do pecador (a pessoa) para o substituto (o animal), e, através do sangue da vítima sacrifical, era levado para o Santuário pelo sacerdote judaico. Cada sacerdote representava Jesus, o nosso Sacerdote, que nos representa no Santuário do Céu. Uma vez por ano, no Dia das Expiações, o Santuário era purificado de todos os pecados dos Israelitas, para lá transferidos ao longo do ano. Era um dia de Juízo! No final do dia, os pecados dos Israelitas arrependidos estavam confessados, perdoados e renunciados, ou não confessados, não perdoados e acariciados. Todos os Israelitas que se recusassem a confessar os seus pecados eram banidos do acampamento. Eram julgados. A purificação do Santuário Celestial tem lugar no fim do tempo. É o juízo final de Deus sobre o pecado.

  • Gabriel começa a sua explicação com a afirmação de que 70 semanas (490 dias) estavam determinadas (postas à parte no total dos 2300 dias), especialmente para os Judeus (Daniel 9:22-24).

  • A totalidade dos 2300 dias proféticos leva-nos até aos tempos do fim e ao início do Juízo.

  • O período profético completo começou com a ordem para restaurar e reconstruir a cidade de Jerusalém. Jerusalém foi atacada em 605 a.C. pelo rei babilónico Nabucodonosor. Em 587/586 a.C., a cidade foi quase totalmente destruída. Os Medos e os Persas venceram os Babilónios em 539 a.C.. Em 457 a.C., o rei persa Artaxerxes emitiu um decreto, permitindo que os Judeus regressassem à sua pátria para reconstruírem Jerusalém. Podemos ler acerca deste decreto em Esdras, no capítulo 7 e nos versículos 12 e 13.

  • As profecias de Daniel informam-nos de que do decreto para restaurar e reconstruir Jerusalém, em 457 a.C., até à vinda do Messias decorreriam 69 semanas proféticas ou 483 dias proféticos (7 x 69 = 483). Uma vez que um dia profético equivale a um ano literal, o Messias deveria aparecer 483 anos após a saída da ordem para reconstruir Jerusalém. O GRÁFICO 1, abaixo, esclarece esta profecia:

Nota : Como é do conhecimento geral, sempre que se fazem cálculos de períodos de tempo que se iniciam antes de Cristo e que terminam depois do nascimento de Cristo, é necessário acrescentar um ano, já que não houve ano zero. Baseados na profecia de Daniel, reconhecemos que o Outono do ano 27 A. D. é o momento lógico para a unção do Messias (o baptismo de Cristo).

  • As primeiras 69 semanas da profecia das 70 semanas terminaram em 27 A.D. com o baptismo de Cristo. Restou uma semana, ou sete anos. No meio dessa última semana profética, todos os sacrifícios de animais cessariam. O Messias seria ?tirado?, isto é, crucificado. De acordo com a profecia, Jesus seria crucificado três anos e meio após o seu baptismo em 27 A.D.. Isso leva-nos à Primavera de 31 A.D.. Jesus foi crucificado na Primavera, exactamente como a profecia predissera.

  • O véu do Templo rasgado de alto a baixo significava o fim do sistema sacrificial. Na Páscoa de 31 A.D., Jesus Cristo, a nossa Páscoa, foi crucificado por nós. O sistema sacrificial perdeu o seu significado. Cristo, o nosso substituto, foi sacrificado em nosso favor. Historicamente, todo o sistema sacrificial chegou ao fim com a destruição de Jerusalém por Tito, em 70 A.D.. Em 34 A.D., como a profecia predizia, os Judeus finalmente selaram a sua perdição como nação. O sumo-sacerdote judeu, falando em nome do Sinédrio, o Conselho Supremo de Israel, rejeitou oficialmente Jesus. Estêvão, o primeiro mártir cristão, foi apedrejado, e, a partir daí, o Evangelho foi anunciado aos Gentios. O período de 490 anos é uma secção menor dos 2300 dias. Os 490 anos aplicam-se especialmente aos Judeus e à vinda do Messias. A profecia mais longa dos 2300 dias conduz-nos até ao fim do tempo, à purificação do Santuário e ao juízo final da Terra.

Nota: Adicionando 1810 anos à nossa última data, 34 A.D., somos levados a 1844. Tão seguramente como Jesus foi baptizado em 27 A.D. e crucificado em 31 A.D., o Juízo começou em 1844 A.D..

O Meu Compromisso Pessoal

Decido entregar-me ao Senhor tal como estou, fraco e pecador. Decido aceitar Jesus como meu Salvador, Senhor e Sumo-Sacerdote no Juízo. Desejo renunciar a tudo aquilo que possa separar-me de Jesus.