Força Para Viver Espiritualidade

A vida, na verdade, não é fácil. A família, o trabalho, o futuro e até as coisas mais simples e bonitas da vida, perdem a sua cor e alegria quando nos faltam as forças para lutar e vencer. Através desta viagem pela Bíblia, em 29 lições, será conduzido, através de citações e questões, a respostas sobre a fiabilidade da Palavra, a natureza de Deus, o que acontece após a morte e o plano da salvação. Tenha uma vida com sentido e encontre força para viver!

Lições

A Identificação de Um Poder Religioso

O livro de Apocalipse relata um grande conflito entre a verdade e o erro.

O coração de Deus está cheio de amor para com este Planeta, por isso enviou o Seu Filho para redimir-nos. Um amoroso e compassivo Deus preocupa-Se connosco diariamente. Um Deus amoroso virá de novo para nos buscar. Ele irá pôr fim à doença, ao sofrimento, à fome, à dor e à morte.

O amor de Deus é revelado no Seu carinhoso apelo ao nosso coração. É também revelado em avisos solenes.

O mais solene aviso, alguma vez feito à Humanidade, encontra-se em Apocalipse 13. Aproxima-se um teste crucial. O conflito irá desenrolar-se à volta do verdadeiro e do falso culto. O assunto central é a Lei de Deus.

O livro de Apocalipse revela os planos de Deus e desmascara os enganos do inimigo. Todas as pessoas têm uma escolha a fazer. O nosso destino eterno depende da escolha que fizermos. A lição de hoje irá focar o assunto final na grande controvérsia entre o bem e o mal.

Textos Bíblicos para Estudo

Apocalipse 14:9-11 Apocalipse 13:15-17 Apocalipse 15:1 Apocalipse 16:1-2 Apocalipse 7:1-3 Apocalipse 13:1-2 Apocalipse 13:3 Apocalipse 13:5 João 10:33 Lucas 5:21 Apocalipse 13:7 Apocalipse 13:18 Apocalipse 14:12 Romanos 6:16

Complemento ao Estudo

  • Uma grande crise está a aproximar-se, na qual todos serão coagidos, através de um boicote económico ou sob ameaça de morte, a receber o sinal da besta. Aqueles que cederem a estas pressões, tanto religiosas como económicas, irão fazê-lo com a clara compreensão de que estão a violar os mandamentos de Deus.

  • O selo relaciona-se com a Lei de Deus (Isaías 8:16, 20). Tal como o selo de um antigo rei continha o seu título e domínio, dando autoridade e oficializando as suas cartas, também o selo de Deus contém o Seu nome, o Seu título e a Sua área de autoridade. Encontramos o selo de Deus no quarto mandamento (Êxodo 20:8-11). ?Porque em seis dias FEZ [Criador] o SENHOR [o Seu nome] os CÉUS E A TERRA [o Seu domínio]? (versículo 11). O Sábado é um sinal especial, ou um selo, entre Deus e o Seu povo (Ezequiel 20:12, 20). Estes sinais representam dois sistemas de religião ? um iniciado por Deus, outro iniciado por seres humanos. Um, o caminho da verdade! O outro, o caminho do erro! Cada pessoa enfrentará o teste crucial: Obedecerei a Deus ou obedecerei aos homens?

  • Foi o dragão, ou o diabo, que, trabalhando através de Roma pagã, tentou destruir Cristo. E foi o mesmo poder que deu à besta o seu trono, ou capital, poder e autoridade. Não é muito frequente as nações fazerem isso! A quem é que Roma pagã deu o seu trono imperial? Como aconteceu isso? A História é clara. ?Ao retirar-se para o Leste, ele [Constantino] deixou o campo livre para os bispos de Roma.?; ?... o Papado não é senão o ?fantasma? do falecido império romano, sentando-se coroado sobre a tumba daquele? (Arthur P. Stanley, Lectures on the History of the Eastern Church, [Palestras sobre a História da Igreja Oriental] [1884], p. 197). O sistema papal de religião é o sistema mencionado em Apocalipse 13. Devemos lembrar-nos de que estamos a falar sobre um sistema, não sobre os membros individuais desse sistema.

  • De acordo com João 10:33 e Lucas 5:21descobrimos que, se alguém ?afirma? ser Deus, essa pessoa comete um acto de blasfémia. Também descobrimos que um líder religioso terreno que se outorga a capacidade de perdoar pecados comete blasfémia. Um tal líder usurpa a autoridade que só pertence a Deus. O papado faz estas reivindicações. O Papa Leão XIII (1878-1903) declarou: ?Nós ocupamos nesta Terra o lugar de Deus Todo-Poderoso.?; ?Os sacerdotes são chamados vigários de Cristo, porque eles ocupam o Seu lugar na Terra...?; ?Que os sacerdotes se aproximem do altar como um outro Cristo.?; ?O sacerdote ocupa o lugar do próprio Salvador, quando, ao dizer ?Ego te absolvo?, ele absolve os pecados?. Alphonsus de Liguori, Dignities and Duties of the Priest [Dignidades e Deveres do Sacerdote], p. 34.

  • É um facto bem conhecido que milhões de mártires pagaram com o seu sangue o preço pela sua fidelidade a Deus. A história da Igreja Católica está cheia de exemplos dessa perseguição.

  • Em profecia bíblica, um dia profético equivale a um ano literal (Ezequiel 4:6; Números 14:34). Os 1260 dias são, na realidade, 1260 anos. Em 538 A.D., Justiniano, o imperador romano pagão, concedeu, oficialmente, ao bispo de Roma o papel de defensor do Império, corrector de heresias e defensor da fé. O Papado exerceu grande influência desde 538 A.D. até 1798 A.D..

  • Um dos títulos oficiais do Papa é Vicarius Filii Dei. Estas três palavras latinas significam: ?Vigário do Filho de Deus.? O dicionário Webster define ?vigário? como um substituto, uma pessoa que actua em vez de outra, um representante. Dado que se trata de um poder romano, é lógico que o método de cálculo seja com números romanos. Numericamente, o título papal perfaz 666.

O TÍTULO DO PAPA: VICARIUS FILI DEI

V - 5

I - 1

C - 100

A - 0

R - 0

I - 1

V (U) - 5

S - 0

Total = 112

F - 0

I - 1

L - 50

I - 1

I - 1

Total = 53

D - 500

E - 0

I - 1

Total = 501

501 + 53 + 112 = 666

Reunindo todas as provas disponíveis, torna-se claro que o poder papal é a besta de Apocalipse 13.

  • Em 18 de Janeiro de 1563, ?o arcebispo de Reggio proferiu um discurso em que declarou abertamente que a tradição estava acima das Escrituras, porque a Igreja tinha mudado o dia de descanso para o Domingo ? não por uma ordem de Cristo, mas pela sua própria autoridade? (Canon and Tradition [Canon e Tradição], p. 263). A base da autoridade papal, declarou ele, estava fundada sobre o direito de mudar o dia de descanso do Sábado, o sétimo dia, para o Domingo, o primeiro dia da semana. ?A Igreja?, diz o Catholic Record, ?está acima da Bíblia e esta transferência do Sábado para o Domingo é a prova desse facto? (1 de Setembro de 1923). Numa carta escrita em Novembro de 1895, H. F. Thomas, chanceler do Cardeal James Gibbons, respondendo a uma pergunta sobre se a Igreja Católica afirma ter mudado o dia de descanso, disse: ?Claro que sim, a Igreja Católica afirma que a mudança foi um acto seu... e o acto é o sinal da sua autoridade eclesiástica.? Roma afirma que a mudança do dia de descanso do Sábado para o Domingo é um sinal da sua autoridade. No futuro, a Igreja e o Estado unir-se-ão de novo numa tentativa de impor este sinal pela força. É apenas neste ponto do futuro, quando a questão estiver clara, que o sinal da besta será imposto pela força. Neste momento, ninguém tem o sinal da besta.

O Meu Compromisso Pessoal

Pela graça de Deus, decido ser leal a Jesus e guardar os Seus mandamentos. Decido guardar o verdadeiro Sábado bíblico. Desejo ser baptizado num futuro próximo.