A Fé de Jesus Espiritualidade

A sociedade contemporânea apresenta-nos hoje inúmeros desafios. O maior talvez seja a ideia de que é possível viver sem Deus. Embora nos pareça que muitas pessoas rejeitaram definitivamente Deus, reconhecemos igualmente que uma boa parte se sente perdida, à procura de algo novo, mais elevado e nobre, que consiga dar um sentido e um rumo certo à sua vida. No meio das complexidades, tragédias, alegrias e tristezas, ecoa por todo o lado um mesmo clamor ansioso: quero ser feliz, quero realizar-me, quero viver uma vida com sentido! O famoso psicoterapeuta austríaco de origem judaica Viktor Frankl, caracterizava este anseio interior como um vazio ou a Presença ignorada de Deus, que o homem teima em não reconhecer. Não podemos viver sem Deus. Necessitamos urgentemente do Seu amor, do Seu perdão e da Sua misericórdia. Este manual, ?A Fé de Jesus?, é um importante instrumento de trabalho. Com ele podemos descobrir os eternos desígnios de Deus e o maravilhoso Plano da Salvação que Ele, tão ternamente, nos quer revelar. Através de 20 Lições, este guia de estudo apresenta uma visão cristocêntrica da mensagem bíblica e do apelo a todo o ser humano para seguir Jesus. Saiamos da nossa rotina, dos nossos problemas e frustrações e aprendamos a conviver com esse Deus maravilhoso que nos oferece, HOJE, uma paz e uma plenitude de vida que nada nem ninguém conseguiu alguma vez oferecer. Jesus disse: ?Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.? João 10:10.

Lições

O que a Bíblia ensina acerca do Plano de Deus para o Sustento da Igreja

Textos Bíblicos para Estudo

Salmos 24:1 Deuteronómio 8:17-18 Levítico 27:30-32 Génesis 28:20-22 I Coríntios 9:13-14 Malaquias 3:10

Complemento ao Estudo

  • Deus é o dono de tudo. É dono do céu e da Terra (Deuteronómio 10:14). Pertencem-Lhe os animais (Salmos 50:10-12). Toda a riqueza é d?Ele (Ageu 2:8). A nossa vida e o nosso corpo pertencem-Lhe (I Coríntios 6:20).

  • Somos mordomos de Deus. O Senhor quer que actuemos como Seus mordomos (Mateus 25:14; Salmos 8:4-8). Dá-nos a força para acumular riquezas (Deuteronómio 8:18; Provérbios 10:22). Mas pede-nos que não tenhamos amor ao dinheiro (I Timóteo 6:10). Devemos ser mordomos fiéis (I Coríntios 4:1- 2). Devemos dar de acordo com as bênçãos que nos foram concedidas por Deus (Deuteronómio 16:17). Onde estiver o nosso tesouro aí estará o nosso coração (Lucas 12:33-34).

COLABORADORES DE DEUS

O Criador é também o Provedor. Dá-nos a vida, o sustento e o conhecimento da verdade. Como demonstração do Seu amor, faz-nos Seus colaboradores. O que Deus nos pede não é porque necessite, mas é para que nos lembremos da nossa dependência em relação a Ele, e para estabelecer uma sociedade benéfica para nós.

O DÍZIMO

O dízimo é a décima parte dos ganhos e pertence a Deus (Levítico 27:30; I Crónicas 29:12-14). Abraão dava o seu dízimo a Deus (Génesis 14:20; Hebreus 7:1-7).

Jacob também o dava (Génesis 28:22). Era uma prática habitual do povo hebreu (II Crónicas 31:5-6; Neemias 10:37-38). O nosso Senhor Jesus Cristo aprovou essa prática (Mateus 23:23).

?O sistema especial de dízimos baseia-se num princípio tão duradouro como a Lei de Deus. Esse sistema foi uma bênção para o povo judeu, se não o Senhor não lho teria dado. Assim será igualmente uma bênção aos que o observarem até ao fim do tempo? (Ellen G. White, Conselhos sobre Mordomia, pág. 67).

USO SAGRADO DO DÍZIMO

O dízimo sempre foi usado para espalhar a mensagem de Deus (Números 18:21). É muito claro o ensinamento bíblico de que os pastores devem ser sustentados economicamente para se poderem dedicar exclusivamente ao exercício do seu ministério (I Coríntios 9:13-14; Lucas 10:7). A Igreja Adventista utiliza o dízimo, que os seus membros devolvem generosamente, para pregar o Evangelho e sustentar os ministros. Dessa forma, cada cêntimo é usado directamente na obra de Deus. Forma-se assim uma cadeia de salvação: Você conheceu a verdade porque outros foram fiéis ao dar o dízimo, agora você colabora para que outros tenham o mesmo bendito privilégio.

OUTRAS OFERTAS

O dízimo é o que devolvemos a Deus porque Lhe pertence. A nossa generosidade é medida pelas ofertas. As ofertas que damos na Escola Sabatina destinam-se à propagação do evangelho nas missões estrangeiras. As ofertas que damos no culto divino são para os gastos da nossa própria igreja. Às vezes damos ofertas para projectos especiais. A Bíblia Sagrada recomenda que sejamos generosos ao dar as nossas ofertas (I Crónicas 16:29; Salmo s96:8; Marcos 12:41-44).

A PROMESSA MARAVILHOSA DE DEUS

No sistema dos dízimos e ofertas, na realidade Deus propõe-nos uma sociedade. Ele, que é o dono de toda a riqueza, convida-nos a participar das imensas bênçãos que é capaz de derramar. É por isso que nos pede que demos com abundância e alegria (II Coríntios 9:6,7). Ele promete cuidar de nós em todos os momentos (Hebreus 13:5-6). Garante-nos que podemos testá-l?O nas Suas promessas de nos conceder bênçãos em grande abundância (Malaquias 3:10-11; Provérbios 11:24-25).

O Meu Compromisso Pessoal

Quero ser sócio de Deus. Prometo devolver com alegria o que pertence a Deus.

O que devo fazer?

1. Ser um fiel administrador dos bens de Deus (I Pedro 4:10)

2. Ser sócio de Deus (Provérbios 11:24-25)

3. Dar com alegria (II Coríntios 9:6-7)